PAGAMENTOS POR MBWAY! SAIBA MAIS.
logo planta
pexels agnese lunecka
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter

ABC DA MODA SUSTENTÁVEL

Não pode haver escolha consciente sem informação adequada, pois não? Se quer consumir ou perceber mais sobre a moda sustentável, é bom que conheça os termos mais populares entre consumidores e designers e o seu real significado. Assim também não se deixará enganar!

De A a Z, aqui está tudo o que precisa saber:

Artesanal

Uma peça artesanal é aquela produzida fora da cadeia industrial e, em grande, parte à mão. Os processos são longos e exigem tempo e dedicação, especialmente quando se trata de produtos mais sofisticados.

Atemporal

Na moda, atemporal diz respeito a peças de roupas produzidas sem a imposição do tempo, de estações, coleções ou uma tendência em particular. São peças que podem ser usadas sem limite de tempo.

Biocapacidade

A capacidade de se continuar a produzir recursos naturais enquanto eles são consumidos pela população. Para que uma área seja considerada de desenvolvimento sustentável, a sua biocapacidade tem de ser maior do que a sua pegada ecológica.

Biodegradável

Biodegradável significa que um item pode se decompor naturalmente no ambiente por agentes biológicos, como micro-organismos e bactérias, desaparecendo por completo sem causar danos ao meio ambiente. Todos os materiais eventualmente se desintegram, mas alguns deles podem levar milhares de anos e liberar no processo substâncias químicas nocivas tanto ao ambiente quanto à saúde.

ma kl onsKFXinc unsplash

Carbono Neutro

A neutralização de carbono se dá quando a emissão do CO2 (por uma pessoa, um sítio, uma atividade etc.) é equilibrada com ações compensatórias, como, por exemplo, o plantio de árvores ou a transição para o uso de energia de fontes renováveis.

Comércio Justo

Ver Fair trade

Compostagem

É o processo biológico pelo qual certos microrganismos transformam a matéria orgânica (folhas, papel, sobras de frutas e vegetais) em uma substância semelhante ao solo a que chamamos. O composto é rico em nutrientes e melhora o crescimento das plantas, gramados e jardins.

Consumo Consciente

É o modo de consumo em que a atenção está direcionada aos impactos socioambientais do produto. Significa estarmos conscientes, em todas as nossas compras, da origem, dos valores, da conduta da marca e dos impactos sociais e ambientais que aquele produto teve e pode ter. Procurarmos saber de onde vem aquela peça, como foi produzida, com quais materiais, quais foram as condições de trabalho de quem as produziu. Privilegiarmos produtos éticos e sustentáveis, de qualidade superior e tendo a durabilidade como um ponto chave para evitarmos o descarte rápido. Consumo consciente é repensar positivamente as nossas decisões e processos de compra para afastarmo-nos do consumismo irracional.

Consumo Responsável

É transformar o ato de consumo em uma prática permanente de cidadania, adquirindo produtos eticamente corretos, cuja produção não envolva a exploração de seres humanos e animais nem tampouco provoque danos ao meio ambiente.

Crise climática

Situação relativa às mudanças climáticas decorrentes do aumento da temperatura média da Terra, tais como variações na temperatura, precipitação e nebulosidade em escala global. O aquecimento global, por sua vez, tem uma componente natural, mas tem sido muito acelerado por ações humanas como a queima excessiva de combustíveis fósseis, o desmatamento e a poluição industrial.

Cruelty-free

Na moda, produtos cruelty-free são aqueles que preservam o bem-estar animal. Não lhes causam danos durante a produção nem possuem subprodutos seus em sua composição, sendo desnecessário matar ou magoar animais para usar uma matéria-prima que derive da sua vida. No caso da lã ou do mel, por exemplo, a extração faz-se possível sem causar males às ovelhas e abelhas. Já no caso do couro, depende da morte – existe o couro sintético como alternativa, mas convém lembrar que é feito com derivados de petróleo. Na indústria cosmética essa definição merece atenção especial, pois significa exclusivamente que os produtos não foram testados em animais. Não garante, contudo, a ausência de subprodutos de origem animal em sua composição, o que só é assegurado nos produtos veganos.

Desenvolvimento Sustentável

É o desenvolvimento capaz de atender às necessidades da geração atual sem comprometer as necessidades das gerações futuras.

Desmatamento

Destruição maciça de ecossistemas florestais com o objetivo de obter produtos (viscose, madeira, carvão vegetal, entre outros) ou áreas livres destinadas à agricultura ou urbanização.

simon harmer e WdkIYZGM unsplash

Ecofashion

Ver Moda Ecológica

Ecofriendly

É o termo destinado a roupas e produtos amigos da natureza, que produzem menor impacto ambiental. 

Economia Circular

É um modelo de produção e consumo no qual são priorizadas a reutilização, a reparação e a reciclagem de materiais e produtos já existentes, estendendo o seu ciclo de vida. É baseada no conceito “cradle-to-cradle”, por oposição à ideia de que a vida de um produto deve ser considerada “do berço ao túmulo”, que por sua vez induz a um ciclo de vida linear de extração, produção e descarte. Na prática, quando um produto chega ao fim do seu ciclo de vida, os seus materiais são mantidos dentro da economia sempre que possível, podendo ser utilizados uma e outra vez, não apenas criando mais valor como reduzindo o desperdício ao mínimo.

Economia Linear

É o modelo económico baseado no princípio “cradle-to-grave”, ou seja, “produz, utiliza e deita fora”. Requer muita energia e exige imensa quantidade de materiais a preços baixos e de fácil acesso. A obsolescência programada faz parte desse modelo.

Emissão de Carbono

É a liberação de dióxido de carbono (e outros gases poluentes) na atmosfera como consequência de atividades humanas como a queima de combustíveis fósseis, incineração de materiais sintéticos descartados, desmatamento, manejo da terra e outros processos na produção agropecuária e industrial. Também ocorre naturalmente por meio do processo de respiração dos seres vivos, erupções vulcânicas etc. O gás carbónico é essencial para a vida na Terra. Porém, sendo o principal gás de efeito estufa, a emissão excessiva contribui significativamente para a crise climática.

Energia renovável

É a energia proveniente de recursos naturais que são reabastecidos naturalmente, como sol, vento, chuva e marés.

Fair Trade

É o modelo de comércio no qual os produtores mais marginalizados recebem valores justos por produtos vendidos em países mais desenvolvidos. É um movimento proposto pela Organização Mundial do Comércio (OMC) com o fim de aumentar a receita dos produtores ao garantir a liberdade comercial independente das leis de mercado impostas pelos países desenvolvidos. Para um produto ser certificado como fair trade é necessário seguir diversas normas estipuladas pela Fair Labor Association para garantir salários justos, segurança no trabalho, ambiente livre de assédio e o direito de lutar coletivamente por condições que ofereçam estrutura necessária para desenvolver rendimento justo e aumento de posição social. Proporciona maior equidade e promove o desenvolvimento sustentável. Existe uma certificação internacional conferida pela Fairtrade International, mas mesmo marcas e comerciantes que não detenham o selo podem praticar o comércio justo ao seguir os respetivos princípios, assegurando salários justos e boas condições de trabalho.

Fashion Revolution

É um movimento criado em 2014 no Reino Unido em resposta ao desabamento do edifício Rana Plaza, em Bangladesh, em 24 de abril de 2013, tragédia que deixou 1134 mortos e 2500 feridos, na sua maioria meninas e jovens mulheres. O prédio abrigava diversas fábricas que produziam para as maiores marcas globais de roupas. O movimento, que hoje ocorre simultaneamente em mais de 90 países, visa a promover discussões para garantir um futuro ético e sustentável na moda, com a valorização das pessoas e do meio ambiente acima dos lucros das empresas. Todo o mês de abril, em memória do desastre, ocorre a Fashion Revolution Week, que promove a campanha #whomademyclothes para pedir maior transparência na cadeia de suprimentos de moda.

Fast Fashion

Derivada do termo “fast food”, essa expressão descreve um padrão de produção e consumo no qual as roupas são fabricadas de forma rápida, precária e barata, consumidas em pouco tempo e descartadas o quanto antes. As marcas associadas à fast fashion são responsáveis por superprodução, grande desperdício de matéria-prima e recursos naturais, grande impacto ambiental e péssimas condições de trabalho, em desrespeito à ética e à sustentabilidade.

Feito à Mão

Ver Handmade

daria volkova THutJSizfCo unsplash

Gender Neutral

Na moda, são roupas que podem ser utilizadas tanto por homens quanto por mulheres, pois a sua modelagem se adapta a ambos os corpos e o seu design não contempla características culturalmente distintivas de géneros.

Greenwashing

É a maquiagem de um produto, linha ou marca para que pareça ecológico ou sustentável, comercializando termos e conceitos de moda sustentável de forma leviana para enganar o consumidor. Acontece em resposta a uma maior demanda dos consumidores por roupas ecológicas e éticas. Práticas como o uso de embalagens sustentáveis ou coleções conscientes podem maquiar problemas ambientais e sociais críticos. Um bom exemplo se dá quando um grande magazine anuncia uma coleção ecológica de 20 ou 30 modelos, mas continua a produzir e a vender centenas ou milhares de outras peças de produção convencional. Ou então quando afirma que uma peça é feita de lã ecológica, mas a sua composição mostra que apenas foi empregado um pequeno percentual desse material. Consciência, atenção e responsabilidade são as únicas armas que podem defender os consumidores do greenwashing.

Handmade

É aquilo que é literalmente feito à mão, de forma artesanal e sem nenhum processo industrial. Valorizam-se as técnicas manuais tradicionais, perpetuando-as por meio de novas gerações de artesãos. Produtos feitos à mão valorizam a produção individual de cada peça e representam o mais extremo oposto da fast fashion.

Living Wage

É a renda salarial mínima necessária para que os trabalhadores da indústria de moda consigam suprir as suas necessidades básicas e tenham uma vida digna.

Lowsumerism

É um conceito que aponta o consumo desmedido como causador de grandes males como compulsão, ansiedade e depressão e, num movimento proposto pela empresa Box1824, especializada em tendências de comportamento, incentiva a consumir-se menos e com mais equilíbrio.

zhen hu PdccFHCDa unsplash

Made Local

É o produto local, produzido em pequena escala. Favorece a geração de empregos e valoriza os pequenos produtores e a cultura local, causando diversos impactos positivos nas comunidades ao descentralizar o poder económico geralmente concentrado nas mãos de poucos e grandes conglomerados.

Material Natural

É o produto ou matéria física proveniente das plantas, dos animais ou do solo, assim como os metais e minerais. Exemplos de materiais à base de plantas são o algodão, o linho, o cânhamo etc., e de animais derivam a lã, a seda, o couro e as plumas, entre outros. Pode ser considerado uma melhor alternativa em relação ao sintético, mas tudo depende da sua cadeia de produção, que muitas vezes inclui o uso de pesticidas, o desmatamento, o desperdício de água e maus tratos animais.

pexels ready made

Material Sintético

É aquele fabricado a partir de polímeros naturais, como é o caso da viscose e do lyocell, ou de polímeros sintéticos, como são o poliéster, o nylon, o elastano e a poliamida. No último caso, geralmente os processos de fabricação dependem do uso de químicos, alto consumo de energia e esgotamento de recursos não renováveis. 

Meio ambiente

Conjunto de agentes físicos, químicos, biológicos e sociais que afetam direta ou indiretamente os seres vivos e as atividades humanas, em um determinado período de tempo.

Microplásticos Têxteis

Partículas de plástico que são liberadas das peças de roupas. Em todas as etapas de vida de um produto têxtil, da produção até o descarte, as microfibras são liberadas no meio ambiente. Mas as microfibras de materiais sintéticos, os chamados microplásticos, são hoje a principal fonte de poluição dos oceanos e responsáveis por imensos danos à fauna marinha e, em consequência, à saúde humana, já que os animais contaminados fazem parte da nossa alimentação. Seja em razão do baixo percentual de reciclagem, que gera um grande acúmulo de produtos no meio ambiente – degradado pela água, sol, vento e microrganismos até ser convertido em nanopartículas com menos de 0,5cm – seja por meio da lavagem de roupas sintéticas, grande parte de todo o plástico produzido vai dar nos mares e oceanos, onde é ingerido sucessivamente na cadeia alimentar. Estudos publicados em 2020 já constataram a presença de partículas de plástico na placenta humana.

Minimalismo

O design minimalista é aquele que utiliza o mínimo possível de recursos na criação do produto. No consumo, o minimalismo traduz a ideia de que “menos é mais” e incentiva a reduzir a quantidade de roupas que devemos possuir, focando o nosso guarda-roupas no que é essencial e na eliminação dos excessos.

Moda Circular

Corolário da Economia Circular, a circularidade na moda refere-se a peças projetadas em todo o seu ciclo de vida, desde o design até o descarte, preservando e aumentando o capital, otimizando a produção e fomentando a eficácia dos processos. A linha do tempo na moda circular inicia-se no desing e produção, passa pelo consumo, pelo reuso, reparo e finalmente pela reciclagem, quando começa tudo outra vez – daí a circularidade.  

Moda Ecológica

A moda ecológica tem o olhar voltado à preservação ambiental durante todo o processo de fabrico de um produto, dando especial relevância aos impactos que esses processos causam no meio ambiente e nos ecossistemas. Por exemplo, marcas que optam por fibras têxteis amigas do ambiente; tingimentos naturais, biodegradáveis e de fontes renováveis; controlam e minimizam o seu consumo de água e energia; tratam os resíduos para evitar a poluição das águas; evitam ou minimizam o uso de pesticidas, herbicidas e outros químicos tóxicos; reduzem a sua pegada de carbono produzindo localmente; usam matéria-prima reciclada; evitam ou minimizam o desperdício de matéria-prima e, de forma geral, pensam em saídas para ter um processo de produção o menos impactante possível.

Moda Ética

A moda ética tem em consideração os direitos humanos, as condições de vida e de trabalho de todas as pessoas envolvidas no processo de fabrico das nossas roupas. Requer a utilização, pelos produtores, de meios e recursos que potencializem os benefícios para as pessoas e as comunidades. As práticas englobadas neste conceito são o comércio justo, o emprego de grupos menos favorecidos da sociedade como as mulheres e as minorias étnicas, salários adequados, condições de saúde e segurança, transparência e legalidade das políticas laborais, apoio a obras sociais, prevenção ao trabalho escravo ou infantil e, ainda, o tratamento justo dos animas e a produção cruelty-free.

Obsolescência Programada

É um fenómeno industrial e mercadológico típico das economias capitalistas no qual os fabricantes propositalmente desenvolvem, produzem, distribuem e vendem um produto para consumo de forma que se torne obsoleto ou não funcional em um espaço de tempo mais ou menos determinado, com o fim específico de forçar o consumidor a adquirir uma nova geração do mesmo produto. Na moda, a produção ininterrupta de novas coleções torna obsoletas as coleções imediatamente anteriores – na fast fashion, a rotação de coleções se dá a cada 15 dias – porque se cria o desejo e a vontade do novo sem que exista uma real necessidade dele. É por essa razão que os roupeiros ficam abarrotados, o lixo têxtil não para de aumentar e o “mercado paralelo” das doações afeta os países de Economias mais suscetíveis.

Orgânico

Orgânicos são os produtos naturais que são feitos e cultivados sem a utilização de materiais altamente tóxicos. Os pesticidas utilizados em produtos orgânicos, quando necessário, não são nocivos ao meio ambiente ou à saúde humana e animal. A certificação, seja para alimentos, moda ou beleza, requer o cumprimento de diretrizes rígidas. A fibra orgânica mais vulgarmente utilizada na moda é o algodão, que deve ser livre de transgénicos, pesticidas e outros tóxicos e, tanto quanto possível, regado e irrigado pelas águas pluviais. Os orgânicos costumam favorecer uma série de outras práticas relativas ao comércio justo e à preservação dos ecossistemas. As certificações mais relevantes para o algodão orgânico são conferidas pela Global Organic Textile Standard (GOTS) e pela Better Cotton Initiative (BCI).

bernard hermant aAEpfifY unsplash

Pegada de Carbono

A pegada de carbono é o volume de gases de efeito estufa (principalmente o dióxido de carbono) produzidos direta e indiretamente por um indivíduo, empresa ou população e liberados na atmosfera por meio das suas atividades. É com base nessa medida que podemos analisar os impactos que causamos na atmosfera e nas mudanças climáticas. Podemos compensar a nossa pegada de carbono com medidas ativas, como a reciclagem, o plantio de árvores ou a transição para o uso de energia de fontes renováveis. A pegada de carbono é um dos elementos da pegada ecológica.

Pegada Ecológica

É a métrica que calcula o impacto do nosso estilo de vida sobre o planeta, considerando os recursos ambientais que uma população ou economia consome em face dos recursos efetiva e contemporaneamente disponibilizados pela natureza. Em outras palavras, é a relação entre os recursos naturais existentes e o consumo humano. Falamos, assim, de retenção de carbono (quantidade de florestas necessárias para absorver o CO2), pegada florestal (consumo de madeira), pegada pesqueira (captura em água doce e marinha), pegada de áreas de pastagem, pegada de áreas de cultivo, pegada de áreas construídas, pegada hídrica e pegada de carbono.

pexels anna tarazevich

Rastreabilidade

A rastreabilidade, crucial para a transparência, é a possibilidade de se rastrear cada componente de uma peça em toda a cadeia de suprimentos, desde a matéria-prima até o botão.

Reciclagem

É o processo de conversão de resíduos em materiais ou produtos de potencial utilidade, reduzindo-se não apenas a produção de lixo como a poluição, a emissão de gases de efeito estufa e o consumo de novos recursos e mais energia. Na moda já é frequente o emprego de materiais reciclados e recicláveis, como a conversão de plástico em tecidos, o reuso de fibras de algodão em outras peças novas, o uso de borracha de pneus como sola de sapatos e inúmeros outros exemplos.

Responsabilidade Social

Além do cuidado com a natureza, a sustentabilidade também diz respeito à sociedade como um todo. A responsabilidade social é a forma como as empresas executam na prática os seus valores éticos, é o seu comportamento perante os seus recursos humanos, consumidores e a população em geral. Normalmente se identifica por meio de ações, projetos ou apoios voluntários que promovam o bem-estar social.

Revolução da Moda

Ver Fashion Revolution

matheo jbt uiaqguyDvsQ unsplash

Second-hand

São as roupas que já foram usadas e são revendidas ou doadas, prolongando-se a sua vida útil. É uma das opções mais sustentáveis de moda, já que reduz o impacto ambiental causado pelo consumo de novos recursos e energia, assim como previne o descarte prematuro em aterros sanitários.

Segunda-mão

Ver Secod-hand

Sem Gênero

Ver Gender Neutral

Slow Fashion

É o movimento, criado em oposição à fast fashion, que valoriza as roupas feitas para durar, seja tem termos de estética como de qualidade, incentivando a reduzir o consumo desenfreado e a focar em produtos únicos e duráveis. Baseada no conceito de “estilo em vez de moda”, passa longe das tendências momentâneas e frenéticas que levam aos constantes lançamentos das grandes marcas de fast fashion.

Sustentabilidade

É o modo de vida em que os sistemas humano e natural coexistem de maneira equilibrada e prosperam sem que nenhuma parte envolvida seja destruída, suprindo-se as necessidades atuais sem afetar a habilidade das gerações futuras de fazerem o mesmo. Portanto, ao contrário do que às vezes se pensa, a sustentabilidade não se limita aos cuidados com a natureza, mas inclui os seguintes elementos: cultural, social, ambiental e económica. Sustentabilidade ambiental é o uso de recursos de forma a não limitar o uso pelo próximo; sustentabilidade económica é a capacidade de produção, distribuição e utilização equitativa das riquezas produzidas pelo homem; a sustentabilidade social é o conjunto de ações que permitem melhorar a qualidade de vida das pessoas, como a redução das desigualdades sociais e a ampliação dos direitos e acesso aos serviços básicos que asseguram o gozo pleno da cidadania; e a sustentabilidade cultural é o reconhecimento da diversidade de costumes e tradições de um povo.

Transparência

Transparência é o compartilhamento aberto de todas as informações sobre um produto, em todas as suas etapas de vida, dando a conhecer as suas origens e jornada, dos campos às prateleiras das lojas. Uma prática transparente aumenta a confiança do consumidor nas ações sociais e ambientais de uma marca.

Upcycling

É o método de transformar um material já existente em um novo produto, mas sem a necessidade de desintegrar a peça original, e sim dando-lhe um uma função diferente daquela para a qual fora inicialmente projetada, convertendo-a num item de valor superior. Na moda, o processo consiste na criação de roupas e acessórios a partir da transformação de outras roupas e tecidos existentes. Reduz-se assim a quantidade de resíduos gerados pela moda ou mesmo por outras indústrias e transforma-se o lixo em material reutilizável de melhor qualidade.

Vegano

São produtos que não levam na sua composição nenhuma matéria-prima de origem animal. Visam o bem-estar social para humanos, não-humanos e meio ambiente através de uma relação harmoniosa baseada no respeito. A moda vegana, portanto, não utiliza tecidos de origem animal, como o couro e as plumas, mas nem mesmo aqueles como a lã, a seda e a caxemira.

nrd CmBCXeQ js unsplash

Zero Waste

É o movimento que prega a redução da geração de resíduos pelo máximo aproveitamento e pelo encaminhamento correto dos resíduos recicláveis e orgânicos para que deles não resulte nenhum desperdício. Na moda, cerca de 15% de todos os tecidos consumidos pelas fábricas acabam em aterros sanitários como lixo têxtil. Segundo a Ellen MacArthur Foundation, o equivalente a um camião de lixo cheio de sobras de tecido é queimado ou despejado em aterros sanitários por segundo. Portanto, quando se reduz o desperdício de material, reduzem-se também a poluição ambiental e a demanda por outros recursos naturais para a produção de novas roupas e produtos. O desperdício zero é pensado do começo da produção até o consumo e o descarte.

A moda é dinâmica, e a ciência traz-nos novos dados e caminhos todos os dia. Mas vamos tentar manter o nosso glossário o mais atualizado possível! Se deu pela falta de alguma expressão ou conceito útil ao contexto, lembre-se de mandar-nos um e-mail. Vamos plantar conhecimento e consciência!

Leia mais

Cruelty-free x Vegan

É dia de ação pelos oceanos

Second Hand September – um compromisso de longo prazo

Options

Wishlist 0
Open wishlist page Continue shopping